Vencedores do FALA 2017 recebem premiação - Notícias - Diligência - Credibilidade em informação jurídica

Notícias

Vencedores do FALA 2017 recebem premiação

Jurídicas 07/12/2017
Vencedores do FALA 2017 recebem premiação

Vencedores do FALA 2017 recebem premiação

Alunos e representantes de escolas participaramda entrega dos prêmios no Palácio da Justiça(Fotos: Eduardo Nichele)

O auditório do Palácio da Justiça foi palco nesta terça-feira (05/12), da cerimônia de premiação da 9ª edição do Prêmio FALA (Formando Adolescentes na Luta Antiviolência), destinado a alunos de escolas públicas e privadas. Neste ano, com o tema Eu, minha família e nossas histórias, o que as minhas memórias familiares dizem sobre quem eu sou, os jovens produziram obras que refletiam a realidade dos seus núcleos familiares.

O evento foi apresentado pelo músico Hique Gomez, que na abertura da cantou a música Fala, de autoria do grupo Secos e Molhados. Em sua segunda participação em edições do Prêmio, o ator destacou que a iniciativa fomenta a consciência da juventude junto a questões sociais e apontou também a importância da premiação para a formação dos jovens: "O reconhecimento é muito importante na formação de qualquer cidadão em qualquer situação. Agora, o incentivo para o jovem que está se formando, é algo muito importante, é um traço na vida dele. Ele sente reconhecido por um trabalho que ele fez de tomada de consciência social."

Músico Hique Gomez, pelo segundo ano consecutivo,participou como Mestre de Cerimônia

O Prêmio FALA faz parte do programa Formando Gerações, que desde 2004 leva aos jovens informações sobre a história do Poder Judiciário e de como funcionam os Poderes de Estado a alunos de escolas públicas e particulares da Região Metropolitana de Porto Alegre. O programa já atendeu mais de 10 mil estudantes.

O Diretor do Memorial do Judiciário gaúcho, Desembargador José Carlos Teixeira Giorgis, ressaltou a importância das atividades promovidas como instrumento na formação da cidadania: "É importante não só para o Poder Judiciário, mas para o sistema educacional e para a própria sociedade. Porque é uma maneira de integrarmos o Poder Judiciário com a comunidade cível e de desenvolvermos com os alunos práticas educativas que levam à formação do cidadão. Através das nossas atividades lúdicas, teatrais e literárias conseguimos uma maneira para que as escolas se expressem nos questionamentos e, dessa forma, materializem uma contribuição muito grande para a própria cidadania, que é o objetivo fundamental".

Vencedores nas categorias música e literatura, Laysa e Lucasressaltaram que o evento propicia a reflexão

Para a Corregedora-Geral da Justiça, Desembargadora Iris Helena Medeiros Nogueira, o tema do Prêmio neste ano promoveu uma reflexão importante acerca do autoconhecimento e das relações no núcleo familiar: "O tema deste ano é de todo especial, porque traz uma reflexão a respeito de nós próprios e da nossa família, e isso leva a agregar e fortalecer o núcleo familiar, a nós buscarmos olhar para dentro de nós mesmos e poder reconhecer de forma humilde, nossas qualidades e nossos defeitos. E, a partir daí, buscarmos nos reformular em nossos núcleos familiares, que é o início de tudo, onde estão reunidos os primeiros e grandes exemplos, nossos grandes amores e os grandes desafios. Então, essa reflexão é algo extremamente valioso para a formação do cidadão".

Premiação

Nesta edição, o Prêmio agraciou oito vencedores, sendo quatro alunos de ensino fundamental e quatro alunos de ensino médio, divididos nas categorias de artes plásticas, audiovisual, música e literatura.

Como premiação foram entregues um computador ao aluno ou grupo de estudantes e outro para a respectiva escola. No total, são 16 computadores de mesa separados pela Informática do Poder Judiciário do RS para destinação aos estudantes e escolas.

Estudantes apresentara seus trabalhosno palco do auditório do Palácio da Justiça

Sob aplausos do auditório, cada vencedor subia ao palco para receber a premiação. Além dos alunos, os representantes das escolas vencedoras também eram homenageados. Entre os vencedores, estavam dois alunos do ensino médio da Escola Estadual Vasconcelos Jardim, da cidade General Câmara. Vencedora na categoria música, a jovem Laysa Porto, autora da obra Colcha de Retalhos, destacou que o projeto proporcionou trazer lembranças, através do meio artístico: "Eu achei muito legal, porque é uma coisa que nos faz recordar através da música¿"

A reflexão através do tema também causou emoção entre os participantes. Vencedor na categoria Literatura, o estudante Lucas Teixeira descreveu a experiência: "O tema não poderia ter sido melhor para mim. Tive meus pais separados na infância, meu pai saiu de casa quando eu tinha oito anos e então falar sobre isso foi emocionante".

Representando o enteado que foi vencedor e não pode comparecer ao evento, Marcelo Oliveira destacou como a experiência através do projeto pode influenciar no futuro dos estudantes: "Acredito que a importância maior foi a possibilidade deles vislumbrarem um mundo até então muito distante. Ele, agora, parte para projetos de trabalhar na área jurisdicional, vislumbrou uma profissão futura".

Tema deste ano foi Eu, minha família e nossas histórias,o que as minhas memórias familiares dizem sobre quem eu sou

A premiação do Prêmio FALA foi promovida pelo Memorial do Judiciário gaúcho em parceria com a Corregedoria-Geral da Justiça e contou com a presença do Juiz-Corregedor Luiz Felipe Desessards, de servidores do Poder Judiciário, alunos, professores, familiares e representantes das instituições de ensino.

Confira a lista de vencedores:

Ensino Fundamental

Categoria Artes Plásticas: "Mundo familiar", Dienifer M. Pires, Escola Dimensão, de Charqueadas. Categoria Áudio Visual: "Eu, minha família e nossas histórias", João Pedro Lacerda Barcellos, Escola Professor Horácio Prates, de Gravataí. Categoria Literatura: "Heranças Eternas", Laura Skorupski, Escola Dimensão, de Charqueadas. Categoria Música: "Sem família amor não há", Luisa Pack Fernandes, Escola Prof. Idelcy Silveira Pereira, de Gravataí.

Ensino Médio

Categoria Artes Plásticas: "Memórias da Gaveta", Alícia da Rosa Godoy, Escola Vasconcelos Jardim, de General Câmara. Categoria Áudio Visual: "História de uma Vida", Adriéli Lisboa Ferreira, Escola Vasconcelos Jardim, de General Câmara. Categoria Literatura: "Recordações Felizes", Lucas Medeiros Teixeira, Escola Vasconcelos Jardim, de General Câmara. Categoria Música: "Colcha de Retalhos", Laysa Mary da Silva Porto,Escola Vasconcelos Jardim, de General Câmara.   

EXPEDIENTETexto: Valéria PossamaiAssessora-Coordenadora de Imprensa: Adriana Arendimprensa@tj.rs.gov.br 

 

 

 

Publicação em 06/12/2017 16:52Esta notícia foi acessada 137 vezes.

Fonte: Tribunal de Justiça do Estado do do Rio Grande do Sul

© Diligência.com.br
competente, confirma , sentença, indenizar, indenização, turma, mandado de segurança, recorreu da sentença, Conselho Regional, Colegiado, desocupação , Defensoria Pública da União, DPU, Ministério Público Federal , MPF, Advocacia-Geral da União , AGU, Caixa Econômica Federal , CEF, Departamento Nacional de Infraestrutura , DNIT, Departamento de Estradas e Rodagem , DER, DNER, PFE, Data do julgamento, Publicação no diário oficial , Servidores públicos , aquisição de estabilidade, condenação, condena, condenado, recorrente , recorrido, constituição federal, aposentadoria por invalidez, AIDS, portador, cardiopatia, imposto de renda, IR, Fazenda Nacional , apelante, princípios da razoabilidade e da proporcionalidade, união , agravo de instrumento, adicional de férias, polo passivo, interesse processual , processamento e julgamento, pensões e aposentadorias, pensão, aposentadoria, competência, demandante, descumprimento da obrigação, sentença penal , unânime, provimento, aposentadoria especial, tempo de serviço, tempo de contribuição, julgou procedente, autarquia , Instituto Nacional do Seguro Social , INSS, CTPS, impetrante, ajuizamento da ação, serviço especial , ANP