Cavendish consegue habeas corpus e vai ficar calado em CPI - Notícias - Diligência - Credibilidade em informação jurídica

Notícias

Cavendish consegue habeas corpus e vai ficar calado em CPI

Jurídicas 29/08/2012
Cavendish consegue habeas corpus e vai ficar calado em CPI

 

O empresário Fernando Cavendish, dono da Delta Construções, conseguiu no Supremo Tribunal Federal (STF) o direito de permanecer em silêncio no depoimento marcado para esta quarta-feira (29) à CPI mista que investiga as relações criminosas de Carlinhos Cachoeira com agentes públicos e privados.
 
Cavendish, no entanto, terá de comparecer à CPI, pois o pedido de dispensa apresentado por seus advogados foi negado pelo relator do habeas corpus no STF, ministro Cezar Peluso.
 
A Delta é apontada pela Polícia Federal como irrigadora de empresas de fachada envolvidas no esquema de corrupção e desvio de dinheiro público do qual fazia parte Carlinhos Cachoeira, preso desde 29 de fevereiro pela operação Montecarlo da PF.
 
Após o depoimento do ex-diretor-geral do Dnit Luiz Antônio Pagot, nesta terça-feira (28), o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) disse que elementos mais do que suficientes para que a CPI peça o indiciamento de Cavendish por corrupção ativa e formação de quadrilha.
 
Está patente para mim que a Delta é a cabeça de um esquema de corrupção com tentáculos em praticamente todos os estados do paíscomentou.
 
Ao comentar a decisão de Cavenedish de se manter em silêncio, o senador disse que, embora o empresário não fale, a CPI tem “elementos mais do que razoáveis” para que ele seja indiciado.
 
Maior detentora de contratos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), e atuante em vários estados, a Delta chegou a ser colocada à venda por apenas R$ 1,00, assim que surgiram as notícias de envolvimento da empresa com Cachoeira. O negócio, porém, foi posteriormente cancelado.
 
Desde então, senadores e deputados de oposição passaram a cobrar a convocação do dono da Delta. O depoimento de Fernando Cavendish à CPI está marcado para 10h15 na sala 2 da ala Alexandre Costa do Senado.
 
Além de Cavendish, foi convocado Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, ex-diretor da Dersa, estatal responsável pela manutenção de rodovias no estado de São Paulo.
 
Paulo Vieira foi convocado pela CPI depois que a imprensa publicou entrevista com Luiz Antônio Pagot, que denunciou tentativa de formação de caixa 2 em campanha eleitoral para candidatos do PSDB.
 
Fonte: Jornal do Brasil

Fonte: Jornal do Brasil

© Diligência.com.br
competente, confirma , sentença, indenizar, indenização, turma, mandado de segurança, recorreu da sentença, Conselho Regional, Colegiado, desocupação , Defensoria Pública da União, DPU, Ministério Público Federal , MPF, Advocacia-Geral da União , AGU, Caixa Econômica Federal , CEF, Departamento Nacional de Infraestrutura , DNIT, Departamento de Estradas e Rodagem , DER, DNER, PFE, Data do julgamento, Publicação no diário oficial , Servidores públicos , aquisição de estabilidade, condenação, condena, condenado, recorrente , recorrido, constituição federal, aposentadoria por invalidez, AIDS, portador, cardiopatia, imposto de renda, IR, Fazenda Nacional , apelante, princípios da razoabilidade e da proporcionalidade, união , agravo de instrumento, adicional de férias, polo passivo, interesse processual , processamento e julgamento, pensões e aposentadorias, pensão, aposentadoria, competência, demandante, descumprimento da obrigação, sentença penal , unânime, provimento, aposentadoria especial, tempo de serviço, tempo de contribuição, julgou procedente, autarquia , Instituto Nacional do Seguro Social , INSS, CTPS, impetrante, ajuizamento da ação, serviço especial , ANP