Copa América: Juizado do Torcedor atende casos de venda ilegalde ingressos na primeira partida em Porto Alegre - Notícias - Diligência - Credibilidade em informação jurídica

Notícias

Copa América: Juizado do Torcedor atende casos de venda ilegalde ingressos na primeira partida em Porto Alegre

Jurídicas 16/06/2019
Copa América: Juizado do Torcedor atende casos de venda ilegalde ingressos na primeira partida em Porto Alegre

Copa América: Juizado do Torcedor atende casos de venda ilegalde ingressos na primeira partida em Porto Alegre

O peruano da capital Lima aguardava à porta da sala de audiências do Juizado do Torcedor e Grandes Eventos (JTGE) na Arena do Grêmio quando, pouco além das 16h deste sábado (15/6), quando foi alertado pela vibração no estádio de que a seleção do seu país marcara no jogo contra a Venezuela.

Acusado de vender ingressos por valor acima do estampado, comemorou o gol com um soco no ar. O torcedor, contudo, mal pôde reparar que o feito fora anulado enquanto explicava a origem dos nove ingressos encontrados com ele. Contou serem presentes de um amigo, jogador da seleção que está jogando a Copa América.

Peruano tentava vender ingressos acima do valore foi conduzido para audiência

O caso acabou arquivado. Segundo o Ministério Público, não foi comprovado o cometimento do crime, previsto no Estatuto do Torcedor. A solução foi homologada pelo Juiz-Titular do JTGE,  Marco Aurélio Martins Xavier.

Outras três ocorrências foram originadas pelo mesmo fato, envolvendo dois brasileiros e seis peruanos. O trabalho no posto do Judiciário durante o confronto pelo torneio sul-americano contou com o auxílio da servidora Ísis Fialkowski, que atuou como intérprete.

Juizado funcionará durante os jogos do campeonato na Arena

No único registro de venda ilegal de entradas que resultou em sanção, um peruano e um brasileiro aceitaram transação penal que prevê pagamento de pena pecuniária no valor de R$ 250,00.

O caso de um terceiro envolvido vai à vista do MP, representado pelo Promotor Márcio Bressani. Rosângela Goulart representou a Defensoria Pública.

EXPEDIENTETexto e fotos: Márcio DaudtAssessora-Coordenadora de Imprensa: Adriana Arendimprensa@tj.rs.gov.br 

Publicação em 15/06/2019 21:44Esta notícia foi acessada 34 vezes.

Fonte: Tribunal de Justiça do Estado do do Rio Grande do Sul

© Diligência.com.br
competente, confirma , sentença, indenizar, indenização, turma, mandado de segurança, recorreu da sentença, Conselho Regional, Colegiado, desocupação , Defensoria Pública da União, DPU, Ministério Público Federal , MPF, Advocacia-Geral da União , AGU, Caixa Econômica Federal , CEF, Departamento Nacional de Infraestrutura , DNIT, Departamento de Estradas e Rodagem , DER, DNER, PFE, Data do julgamento, Publicação no diário oficial , Servidores públicos , aquisição de estabilidade, condenação, condena, condenado, recorrente , recorrido, constituição federal, aposentadoria por invalidez, AIDS, portador, cardiopatia, imposto de renda, IR, Fazenda Nacional , apelante, princípios da razoabilidade e da proporcionalidade, união , agravo de instrumento, adicional de férias, polo passivo, interesse processual , processamento e julgamento, pensões e aposentadorias, pensão, aposentadoria, competência, demandante, descumprimento da obrigação, sentença penal , unânime, provimento, aposentadoria especial, tempo de serviço, tempo de contribuição, julgou procedente, autarquia , Instituto Nacional do Seguro Social , INSS, CTPS, impetrante, ajuizamento da ação, serviço especial , ANP