TJ adia julgamento envolvendo Geisy Arruda em SP - Notícias - Diligência - Credibilidade em informação jurídica

Notícias

TJ adia julgamento envolvendo Geisy Arruda em SP

Jurídicas 31/01/2012
TJ adia julgamento envolvendo Geisy Arruda em SP

 

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) adiou o julgamento do recurso do processo de indenização movido pela ex-aluna da Universidade Bandeirante de São Paulo (UNIBAN) Geisy Arruda. A ex-aluna da instituição pede R$ 1 milhão de indenização por danos morais por ter sido hostilizada por colegas em outubro de 2009 por ter ido às aulas com um vestido curto.
 
O julgamento, que estava agendado para esta segunda-feira, foi adiado porque uma desembargadora solicitou mais tempo para analisar o processo. Ainda não foi definida a nova data para o julgamento.
 
Pelo Twitter Geisy comentou o cancelamento. "Ainda bem que eu nao foi (sic) ao julgamento...Ver os advogados da Uniban apelarem usando notinhas de imprensa ia ser ridículo", comentou. A autora do processo ainda disse que não vai desistir da indenização. "Enquanto eu respirar irei lutar por justiça!! Ainda dói lembrar daquele dia, nunca senti tanto medo (...) lutarei até o fim dos meus dias", disse Geisy, que contou com o apoio de alguns seguidores da rede social.
 
Ainda sobre o caso que a deixou famosa em 2009, Geisy desabafou, reclamando do tratamento que recebeu no episódio. "O Brasil é o único pais onde tentam transformar a VITIMA em Culpada... Lamentável...Vergonhoso", completou.
 
Segundo julgamento
 
Em setembro de 2010, o juiz Rodrigo Gorga Campos, daVara Cível de São Bernardo do Campo (SP), condenou a Uniban a pagar R$ 40 mil a Geisy por danos morais. O valor foi considerado baixo pelos advogados da ex-aluna de Turismo, ao passo em que a universidade recorreu pedindo a exclusão da condenação. "O recurso é para corrigir a decisão do juiz, que em vez de zerar a indenização, deu 0,4% do valor pedido. A Uniban entende que 0,4% não é uma indenização, é uma brincadeira", disse o defensor da instituição, Vicente Cascione, ainda em 2010.
 
Geisy foi expulsa da Uniban em novembro de 2009, por "desrespeito à moralidade e à dignidade acadêmica". A estudante, que teria tomado conhecimento de sua expulsão pela imprensa, diz que houve falha na prestação de serviço, violação de seus direitos de consumidora e agressões verbais, além de alegar que sua segurança pessoal foi colocada em risco. Na defesa, a Uniban responde não ter causado qualquer dano à Geisy, afirmando que teria sido ela quem causou danos à instituição.
 
De acordo com a decisão daVara Cível de São Bernardo do Campo, "afigura-se razoável a importância de R$ 40 mil (quarenta mil reais), quantia suficiente para compensar a violação sofrida pela autora, sem comprometer a saúde financeira da empresa ".
 
Fonte: Terra

Fonte: Terra

© Diligência.com.br
competente, confirma , sentença, indenizar, indenização, turma, mandado de segurança, recorreu da sentença, Conselho Regional, Colegiado, desocupação , Defensoria Pública da União, DPU, Ministério Público Federal , MPF, Advocacia-Geral da União , AGU, Caixa Econômica Federal , CEF, Departamento Nacional de Infraestrutura , DNIT, Departamento de Estradas e Rodagem , DER, DNER, PFE, Data do julgamento, Publicação no diário oficial , Servidores públicos , aquisição de estabilidade, condenação, condena, condenado, recorrente , recorrido, constituição federal, aposentadoria por invalidez, AIDS, portador, cardiopatia, imposto de renda, IR, Fazenda Nacional , apelante, princípios da razoabilidade e da proporcionalidade, união , agravo de instrumento, adicional de férias, polo passivo, interesse processual , processamento e julgamento, pensões e aposentadorias, pensão, aposentadoria, competência, demandante, descumprimento da obrigação, sentença penal , unânime, provimento, aposentadoria especial, tempo de serviço, tempo de contribuição, julgou procedente, autarquia , Instituto Nacional do Seguro Social , INSS, CTPS, impetrante, ajuizamento da ação, serviço especial , ANP