Ministério Público pede a suspensão de venda de chips da TIM no Paraná - Notícias - Diligência - Credibilidade em informação jurídica

Notícias

Ministério Público pede a suspensão de venda de chips da TIM no Paraná

Jurídicas 07/08/2012
Ministério Público pede a suspensão de venda de chips da TIM no Paraná

 

O Ministério Público do Paraná ajuizou uma ação coletiva de consumo nesta segunda-feira (6) para que a TIM seja proibida de vender novas linhas de telefonia móvel no estado até que a operadora cumpra as seis metas de qualidade que apresentaram irregularidades, de acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). O MP pede ainda que clientes sejam indenizados, em dobro, por prejuízos causados por cobranças indevidas.
 
Os problemas e também as reclamações dos serviços ofertados pela TIM são antigos chegando a mobilizar as comissões de Obras Públicas, Transporte e Comunicação e de Defesa do Consumido da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). Em março deste ano, foi realizada uma audiência com representantes das operadoras.
 
A operadora afirmou que neste ano serão  investidos mais de R$ 95 milhões para ampliação e modernização da rede no estado.
 
“Até o momento, 100% dos equipamentos 2G (voz) foram modernizados. Serão instalados ainda cerca de 150 novos sites 2G e 3G ainda este ano. Vale destacar também a construção de uma rede de fibra óptica de 107 quilômetros na região de Curitiba, com previsão de conclusão em 2014 e que irá aprimorar a cobertura oferecida aos clientes paranaenses. Além disso, a empresa será a provedora dos serviços de 4G nas áreas rurais do Paraná, conforme resultado do leilão de frequência realizado em junho pela Anatel", diz trecho da nota divulgada pela operadora.
 
As complicações na prestação do serviço motivou a Anatel a suspender a venda de chips da TIM no estado, durante nove dias. A liberação ocorreu depois que da apresentação dos planos de investimentos para solucionar os problemas na rede de telefonia móvel. “A operadora assumiu o compromisso - com a execução do Plano de Ações de Melhoria da Prestação de Serviço Móvel, recentemente apresentado à Anatel - de contribuir de forma efetiva para o desenvolvimento de uma infraestrutura capaz de atender à crescente demanda dos consumidores brasileiros”, declarou a operadora.
 
Outras operadoras também foram punidas pela Anatel, em outros estados do país. O critério adotado pela Agência foi interromper a venda de chips da operadora com o pior índice de qualidade em cada estado. Para definir qual empresa seria punida e onde, foram considerados os números de reclamações na Anatel, de chamadas não completadas e de interrupções de ligações.
 
Fonte: G1

Fonte: G1

© Diligência.com.br
competente, confirma , sentença, indenizar, indenização, turma, mandado de segurança, recorreu da sentença, Conselho Regional, Colegiado, desocupação , Defensoria Pública da União, DPU, Ministério Público Federal , MPF, Advocacia-Geral da União , AGU, Caixa Econômica Federal , CEF, Departamento Nacional de Infraestrutura , DNIT, Departamento de Estradas e Rodagem , DER, DNER, PFE, Data do julgamento, Publicação no diário oficial , Servidores públicos , aquisição de estabilidade, condenação, condena, condenado, recorrente , recorrido, constituição federal, aposentadoria por invalidez, AIDS, portador, cardiopatia, imposto de renda, IR, Fazenda Nacional , apelante, princípios da razoabilidade e da proporcionalidade, união , agravo de instrumento, adicional de férias, polo passivo, interesse processual , processamento e julgamento, pensões e aposentadorias, pensão, aposentadoria, competência, demandante, descumprimento da obrigação, sentença penal , unânime, provimento, aposentadoria especial, tempo de serviço, tempo de contribuição, julgou procedente, autarquia , Instituto Nacional do Seguro Social , INSS, CTPS, impetrante, ajuizamento da ação, serviço especial , ANP